Louboutin processa Yves Saint Laurent por copiar a sola vermelha

Nova Iorque, 8 abr (EFE) - O estilista de calçados francês Christian Louboutin, famoso por seus sapatos com sola vermelha sangue que se popularizou com a atriz Sarah Jessica Parker no filme "Sexo em Nova Iorque", pediu um milhão de dólares à marca Yves Saint Laurent por copiar sua marca registrada, a "Sola Vermelha".

Christian Louboutin, Yves Saint Laurent
Sapatos por Christian Louboutin


"Os acusados utilizam sapatos que são praticamente idênticos à marca 'sola vermelha', o que pode causar e já está causando confusão, erros e enganos entre as consumidoras", assegura a petição apresentada em Nova Iorque que pode ser consultada hoje no correio eletrônico do sistema judicial norte americano.

O documento garante que em 1992 Louboutin pintoi pela primeira vez com um esmalte vermelho a sola preta de um sapatos com salto alto, e que desde então esta se transformou em um símbolo de sua assinatura de desenho, cujas criações tem sido popularizadas nas séries de televisão como "Sex in the City" ou "Desperate Housewives".

Os famosos sapatos do estilista francês, que têm sido usados desde Madonna atéCarolina de Mónaco, e que podem chegar a custar até 4.000 dólares, foram registrados como marca nos Estados Unidos em 2008, de acordo com a demandante.

Christian Louboutin, Yves Saint Laurent
Sapatos por Christian Louboutin


O documento garante que Yves Saint Laurent tem vendido um sapato muito parecido por meio de marcas como "Tribute" ou "Woodstock", desde janeiro passado em muitas lojas de alta costura como Barneys, Nordstrom ou Saks Fifth Avenue, e que têm continuado a comercializá-los, apesar de ter sido requisitado inúmeras vezes que deixem de fazê-lo.

Em função disso, a empresa francesa pede uma compensação de um milhão de dólares e alega que, desde que Yves Saint Laurent tem vendido os sapatos de sola vermelha, a marca tem perdido o "poder de controlar a sua própria reputação".

© EFE 2014. Está expresamente prohibida la redistribución y la redifusión de todo o parte de los contenidos de los servicios de Efe, sin previo y expreso consentimiento de la Agencia EFE S.A.